Created with Snap
inteligência emocional

Qual a importância da inteligência emocional para o gestor de RH?

Pessoas inteligentes sempre foram muito valorizadas pela sociedade, pois conseguem encontrar soluções novas e dar conta de problemas mais complexos. Porém, é um grande erro pensar em “inteligência” apenas como a capacidade de memorizar informação e resolver questões de matemática. A inteligência emocional, por exemplo, é uma habilidade cada vez mais importante para ser bem-sucedido em qualquer carreira.

Você provavelmente já ouviu falar desse termo, mas também é provável que ninguém tenha esclarecido para você o que ele significa. Porém, termos como esse têm se tornado cada vez mais importantes para os profissionais de Recursos Humanos, pois contribuem na identificação do perfil do colaborador e facilitam o processo de contratação.

Para lhe ajudar um pouco com isso, vamos falar sobre o significado de inteligência emocional, sua importância e como você pode desenvolvê-la em si mesmo e na sua equipe. Acompanhe!

O que é a inteligência emocional?

Primeiramente, é bom esclarecer que não existe apenas um tipo de inteligência. De acordo com a teoria das inteligências múltiplas, há uma série de habilidades governadas por diferentes formas de raciocínio e cada pessoa pode ser mais ou menos desenvolvida em cada uma dessas frentes.

Essas inteligências são:

  • lógico-matemática: associada à abstração, análise e ao raciocínio lógico;
  • linguística: domínio de idiomas e habilidades de se expressar;
  • musical: entendimento de sons e suas harmonias;
  • espacial: orientação visual no espaço;
  • corporal-cinestésica: consciência do próprio corpo;
  • interpessoal: capacidade de lidar com outras pessoas;
  • emocional: autoconhecimento, empatia e autossuficiência.
Leia também:  Veículos Especiais: conheça os principais modelos dessa categoria!

Cada um desses elementos tem seu propósito. Porém, a inteligência emocional em particular é de grande interesse para os gestores, pois ela afeta em larga escala as interações e a motivação da sua equipe.

Qual a sua importância para o gestor de RH?

Não é sem motivo que outras formas de inteligência estão ganhando cada vez mais atenção nas empresas, tanto na hora de contratar quanto na de aprimorar os processos internos. Para os profissionais de Recursos Humanos, essa é uma habilidade cada vez mais indispensável.

Veja aqui alguns dos benefícios de desenvolver a sua inteligência emocional:

Aceitar críticas

Quando alguém faz uma crítica, isso não precisa ser fonte de atrito. Pelo contrário, pode ser uma oportunidade para desenvolver novas habilidades e evitar futuros erros. Pessoas com alta inteligência emocional são capazes de entender isso mais facilmente, sem levar certas críticas para o lado pessoal.

Entender as necessidades dos outros

A empatia é uma habilidade com grande valor no trabalho de RH. Conseguir compreender com clareza o que cada colaborador busca, quais são suas dificuldades e como você pode atuar para manter sua motivação são todas características muito úteis neste ramo. Também é uma qualidade útil para identificar talentos e filtrá-los de acordo com sua afinidade com determinadas áreas.

Promover um ambiente de trabalho mais acolhedor

Por fim, mas não menos importante, pessoas com alta inteligência emocional conseguem atuar de maneira mais efetiva para aproximar os membros das equipes. Além de ajudar na gestão comportamental dos seus colaboradores, isso também é muito útil para manter todos bem-motivados e evitar o desgaste psicológico da sua equipe a longo prazo.

Leia também:  Liderança empresarial: como o RH pode prepará-la de forma estratégica?

inteligência emocional

Como desenvolver e promover a inteligência emocional?

Assim como qualquer outra forma de inteligência, a emocional também pode ser trabalhada, desenvolvida, aprimorada e passada adiante. Apesar do que alguns acreditam, ela não é puramente um talento, mas também uma questão de hábito e de esforço da sua parte.

Sendo assim, com as ações certas, você pode tornar-se mais inteligente emocionalmente e também ajudar outras pessoas a fazerem o mesmo. Veja alguns exemplos que você pode seguir!

Ênfase no autoconhecimento

Um dos primeiros passos para promover a própria inteligência emocional é conhecer a si mesmo. Isso inclui saber aquilo que você deseja, o que quer e o que não quer, suas qualidades e seus defeitos. Pode não parecer nada tão relevante a princípio, mas isso faz toda a diferença no desenvolvimento desse tipo de inteligência.

A partir do autoconhecimento, você pode promover várias outras coisas, como o domínio do seu comportamento e a automotivação. Essas são duas coisas que contribuem bastante com sua satisfação profissional, além de ajudar a recompensar o desempenho.

Cultura de feedback

Como já mencionamos, saber receber críticas de forma aberta e transmiti-las de modo construtivo faz toda a diferença em seu desempenho. E, para que este seja o caso na sua empresa, é importante que você promova uma cultura que incentive a troca de feedback no dia a dia.

Em primeiro lugar, é importante aprender mais sobre comunicação não agressiva. Uma das coisas que mais dificultam a criação de uma cultura de feedback é justamente a formas como as pessoas o fazem. Caso todos entendam como expressar suas ideias de forma direta e clara, boa parte dessas dificuldades desaparece.

Execução de forma atenta

A escuta atenta é uma prática muito importante para o desenvolvimento da inteligência emocional. Mesmo quando estão fisicamente presentes, muitas pessoas não refletem sobre o que as outras pessoas falam, apenas absorvendo tudo passivamente. Isso é o que leva a muitos “papos furados” no dia a dia.

Leia também:  8 ações para engajar colaboradores e líderes

Ter uma escuta ativa, por outro lado, exige um investimento emocional na conversa e entendimento do outro. Com o tempo, isso ajuda a construir outras habilidades, melhora a comunicação e evita uma série de mal-entendidos.

Promoção da socialização nas equipes

Por fim, mas não menos importante, ninguém se torna mais próximo das próprias emoções sem interagir com outras pessoas. Por isso que, quanto mais próximo alguém é de seus colegas de trabalho, mais fácil é lidar com certas questões do dia a dia.

É nesse ponto que os happy hours e as festas da empresa mais podem ajudar. Ninguém precisa envolver-se caso não queria, mas é sempre uma boa ideia criar oportunidades para que todos se aproximem e socializem.

Agora que você entende melhor a importância da inteligência emocional para o gestor de RH, é hora de começar a desenvolver a sua. Com isso, você também poderá espalhá-la para outras pessoas na empresa.

Quer continuar recebendo nossas dicas? Então, siga-nos no Facebook, Twitter e LinkedIn para acompanhar tudo em primeira mão!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

você também pode gostar de:

© 2022 Unidas Frotas. Vamos juntos. - Todos os direitos reservados